Nossa Amiga Sombra 2ª Parte.


A sombra, essa força, ela assume formas na mente para interagir com você e isso é muito importante entender.

Para uma maior compreensão, vamos a um exemplo que poderia ser bem banal:

José é um cara preguiçoso, mas ele não quer reconhecer isso. A preguiça nele é reconhecida como sendo um não-eu, já que ele não reconhece para si nem para os outros que ele é preguiçoso. Então ele pede a Carlos que esta sentado do seu lado para fazer o favor de alcançar uma pasta que está na outra mesa. Carlos lamenta e diz que não pode e que o próprio José poderia pegar a pasta, já que a distância é a mesma. José fica indignado e chama Carlos de preguiçoso porque ele foi incapaz de levantar para pegar a pasta., o que o torna, segundo os seus próprios critérios, um preguiçoso. Mas como a preguiça no José faz parte de sua Sombra, ele não reconhece como sendo de si mesmo, mas sim projetando no outro e


como sendo o outro.

Na nossa Sombra, geralmente colocamos os nossos defeitos, nossas culpas, vergonhas, traumas, bloqueios, sentimentos negativos, coisas ruins que socialmente ou pessoalmente reprovamos ou qualquer tipo de coisa que reprimimos. Colocamos também tudo aquilo que nos foi proibido por culpa ou vergonha, quando estamos cantarolando e criando e então disseram para nos calar. Só que isso não é ruim.

É muito importante perceber que a nossa psique é como a natureza: Ela não é Moral.

Qualidades e defeitos são valores conscientes que damos a característica nossa. A raiva pode ser vista como um defeito, mas pode ser uma qualidade para quem sabe canalizar esse sentimento de forma proveitosa. Se não sabemos e nos ensinam (ou aprendemos) que devemos reprimir isso e/ou negar determinado sentimento/desejo/pensamento, ele acaba virando sombra.

Como toda boa so


mbra, ela fica sempre atrás de nós. Quanto maior a luz da consciência, maior é a projeção da sombra. Ou melhor dizendo: quanto maior é a dominação da consciência, maior é a projeção da nossa Sombra no mundo e nos outros, e menor é a compreensão de nós mesmos.

Sua sombra pode ser sua amiga. Na verdade ela é a realidade que não pode ser negada. Se deixarmos nossa mente inconsciente ela vira nossa inimiga e acaba mostrando que no mundo existem vários inimigos, e que no mundo existe um mal que não pertence a mim (mas que na verdade esse mau somos nós mesmos).

Mas se essa sombra é tratada como nossa amiga, sempre quando reconhecemos que algo fora nos incomoda, trazemos isso para nós e perguntamos: O que eu tenho dessa característica que vejo como sendo ruim nos outros?

Quando reconhecemos que o mau no outro é um mau nosso, crescemos como pessoa. Dessa maneira, fazemos uma maior integração da nossa Sombra e ela se torna nossa amiga.

Uma




Sombra amiga dá abrigo em dias de sol e luz forte, ela descansa nossos olhos, ela nos serve de fonte de diversão e entretenimento quando brincamos com suas diferentes projeções. Mas para isso tem que aprender a como trabalhar esse aspecto e ser integrada e nossas características ruim precisam ser vistas por nós mesmos (nossas) e nossa amiga.

Fraterno Abraço.

RoCarvalho.



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo